4 de outubro de 2014

dióxido de aluição

muito em breve vou abandonar-me nos teus ossos
num território grávido de linhas
e privado de casas
um caule que desagua
nas impossíveis árvores do desejo

a morfina lava as sílabas
com a menstruação do sol

os dias hospitalizam a janela ao poema

muito em breve, à medida que a inclinação
queime o infinito,
as mãos masturbarão os vestígios

e o corpo parasitará o oceano
no clima ancestral que circunscreve a cidade

desabo em mundo

Carlos Vinagre